• Siga-nos:
  • Facebook
  • Facebook

Notícias > Noticias


02/07/2014 - Fmfmt Fmfmt
Orione diz que pretende lançar um livro sobre seu trabalho frente a FMF

Dr. Carlos cedeu uma entrevista exclusiva para a TV Centro América e contou os momentos que vividos nestes 38 anos de atuação no futebol. Ele destacou nos bastidores que pretende escrever um livro sobre tudo o que viu e passou depois nesses anos que ficou no cargo. Durante a entrevista ele contou que iniciou no futebol em 1976 que na década de 80 ficou quatro anos afastados, mas sem deixar de ser influente e tomar as decisões sobre os mais diversos temas que envolvem o esporte preferido dos brasileiros. Segundo Orione, os planos estão bem definidos: descansar, cuidar da saúde e escrever um livro sobre tudo o que viu e passou depois de tanto tempo no cargo.

“Não sou mais menino, estou com 77 anos e não tenho mais condições físicas de ficar aqui. É a minha despedida da Federação Mato-grossense de Futebol, após tantos anos. Saio com sentimento de dever cumprido. Foram mais acertos do que erros. Hoje, o futebol de Mato Grosso é conhecido no mundo inteiro. Nas eleições sempre fui aclamado por unanimidade. Agora chegou a hora de sair. Já estou escrevendo um livro sobre tudo o que passei e tudo o que aconteceu nesses mandatos”, disse o Barão.

Para ele, sua maior conquista no cargo foi à vinda da Copa do Mundo para Cuiabá. Amigo do ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, Orione ajudou nas tratativas de escolha das 12 sedes brasileiras. Após tantos anos na FMF, ele admitiu que pensou em sair antes, mas o amor pelo futebol e a satisfação em mandar no futebol o fizeram permanecer.

Algumas críticas mais pesadas me faziam repensar se valia a pena continuar. É muita cobrança ficar nesse cargo. Não sou remunerado na federação. Fazia por amor ao esporte, pela vontade de ajudar o futebol. É como uma doença incurável.

Em meio às críticas nos últimos anos, Orione destacou as conquistas como a subida no ranking de federações (a FMF ocupa a 14ª posição), as três vagas na Copa do Brasil, além de clubes na Série B, C e D do Campeonato Brasileiro. “Quando assumi, o futebol só existia na capital. Hoje, temos times do interior muito forte. São 26 clubes profissionais e todos em crescimento”.

Seu sucessor agora é o ex-presidente do Luverdense, Helmute Lawisch, que assumiu nesta terça feira (02.07) o cargo, até que a sucessão seja definida. Ou todos renunciam e uma nova eleição será realizada ou apenas Orione pede a saída, para que Helmute assuma efetivamente.

Para Orione Helmuth é uma pessoa muito competente, interessado e que realizou um belo trabalho no Luverdense, que hoje está na Série B. É a pessoa certa para o cargo no momento. Tenho confiança nele.

Carlos Orione, Operariano de coração, ele disse que agora irá curtir a vida dupla de aposentado, já que trabalhou como procurador de justiça. “Quero participar como espectador, ir aos estádios assistir principalmente o Operário, que é o time que torço. Nossos clubes estão muito bem nas competições nacionais”.

Assista a matéria clicando aqui.


Notícias Relacionadas